Brasilia-BH 2004

Brasilia-BH 2004

A primeira viagem de moto de Flávio e Herick, entre Brasilia e Belo Horizonte, foi realizada entre 27 e 30 de agosto de 2004 pela rodovia BR-040. Apresentando ótimos trechos de asfalto na parte mineira da estrada, esta viagem foi marcada pela hospitalidade do povo da cidade de JOÃO PINHEIRO, em Minas Gerais.

A ida ocorreu sem transtornos, com várias paradas pelo caminho para abastecimento das motos e dos aventureiros (bendita água de côco!). As paradas ocorreram nas cidades de Cristalina, Paracatu, João Pinheiro, Três Marias (com direito a lauta refeição e siesta), Curvelo e finalmente Belo Horizonte, totalizando 12 horas de viagem para os 750km percorridos.

Um detalhe importante é a trilha sonora da viagem: um cd-mp3 com 16h de HARD ROCK, entre os quais AC/DC, Deep Purple, ELP, Kiss, Led Zeppelin, Jethro Tull, Rush, Rainbow, Yes. Não, o som não atrapalha a pilotagem, pois é só deixar tocando a viagem toda, sem se incomodar nem com os solavancos que a música nao para. O problema é o volume. Vocês acham que a música não permite ouvir o trânsito? Justamente o contrário!!!! O vento e o ronco do escapamento é que não deixavam escutar a música, mesmo no volume mais alto. Mas é muito bom pegar uma estrada ouvindo Born to be Wild!!!

O retorno, com paradas nas mesmas cidades, mostrou-se mais demorado pois a moto do Herick teve pane na saída de João Pinheiro às 23h! Felizmente foi ainda dentro da cidade. Empurramos a moto para uma borracharia, e buscamos ajuda no posto onde abastecemos. Prontamente apareceu uma picape para tentarmos carregar a moto até um hotel perto da melhor oficina da cidade. Apesar dos esforços não havia rampa para carregar ou descarregar a moto, entao optamos em guardá-la dentro do restaurante anexo à borracharia. Pela manhã, o mecânico resgataria a moto, o que foi feito. Moto na oficina, diagnóstico: entupimento do carburador, provocado por gasolina adulterada/suja. Posto bandeira branca, meu amigo, NUNCA MAIS!

Moto de volta à ativa, hora de continuar a viagem, sem maiores problemas a não ser uma pausa para meditação a pedido de um guarda da PRF de Paracatu, e o asfalto de MERDA do trecho de 120km Cristalina-Brasilia, todo esburacado/remendado/ondulado, que estressou mais do que os 630km anteriores. Que vergonha hein, governo de Goiás!

 

parada em Paracatu
parada em Paracatu
detalhe da moto do muttley
moto do Flávio
detalhe da moto do mestre fyoda
moto do Herick
ninja na estrada
ninja na estrada
Mestre Fyoda comemorando no almoço em Três Marias
comemorando em Três Marias
Muttley comemorando no almoço em Três Marias
comemorando em Três Marias
Meditando após o almoço...
meditando após o almoço…
Relaxando no Bar Brasília, após o retorno
comemorando em Brasília

 

Adendo 2008, após quatro anos de experiência em viagens:

Esta viagem foi um verdadeiro aprendizado do que NÃO SE DEVE fazer numa viagem!

– dois marinheiros de primeira viagem ao mesmo tempo (por si só a causa de todas as cagadas abaixo);

– misturamos motos com velocidades de cruzeiro incompatíveis;

– não conhecíamos a estrada;

– comemos e bebemos além da conta no almoço;

– utilizamos mochilas nas costas (cansa e desestabiliza) em vez de alforges;

– na volta, saímos tarde de BH e avançamos noite adentro;

– não planejamos os abastecimentos e tivemos que parar num posto esquisito (o que acabou provocando o problema na moto);

– nos perdemos um do outro na estrada, e desperdiçamos horas até nos reencontrarmos;

– não avisei minha namorada, que depois de quatro dias já estava ligando pro IML ;-P

 


“Não explico porque ando de moto! Para quem gosta, não é necessário,e para quem não gosta, nenhuma explicação é possível”

Autor desconhecido


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *