Viagem Brasilia – Floripa 2005 – II

Viagem Brasilia – Floripa 2005 – II

       Cheguei em Florianópolis praticamente uma semana antes do Natal, e aí foi só curtir a família e a filhota, que adora andar de moto e rapidinho já pediu um passeio! Família grande, cheia de novidades, dentre as quais minha irmã e sua escola de Ioga, meu mano e sua “história-sem-fim” com a reforma da casa para a construção do estúdio. Ele é guitarrista, agora da banda Germinal Blues, e faz uns 245 anos que ele está construindo um estúdio para ensaios e gravações em casa… começou era um “puxadinho”, agora tá maior que a casa dele! Eu ainda tinha meu topete quando ele começou a obra… aeuhaeuhaeuha

       A semana foi de espera pela chegada da minha namorada, Lilian, que faria a viagem comigo, mas teve um imprevisto no trabalho e não pôde participar da ida até Florianópolis. Mas, aventureira que só, depois de tudo resolvido encarou uma carona de carro com uma amiga até Curitiba, mais um trecho de ônibus até Floripa, e chegou a tempo para o Natal.

       Como ela não conhecia bem a cidade, e aproveitando os belos dias de sol que apareceram, nada como um passeio de moto pela ilha pra mostrar essa beleza que encanta os turistas e faz com que muita gente não queira mais voltar pra casa. Em três dias de “exploração mototurística”, passamos pela grande maioria das praias do norte, leste e sul da ilha: Praia do Forte, Jurerê Internacional, Canasvieiras, Praia Brava, Matadeiro, Barra da Lagoa, Prala Mole, Joaquina, Campeche, Morro das Pedras, Lagoa do Peri, Armação, Pântano do Sul, Praia da Solidão. E logicamente, a Lagoa da Conceição e o centrinho da cidade, passando pelo Box 32 e a Praça XV!

       Infelizmente, tudo que é bom dura pouco, e dia 28 iniciamos nosso retorno para Brasília… que azar ter que trabalhar dia 02/01 e isso ainda cair numa segunda! Saindo dia 28, o plano é ter tempo de sobra para passar em São Paulo visitar uma grande amiga nossa, Edna e família, e depois seguir pra Ribeirão Preto tomar o melhor chopp do Brasil no Pinguim.

       A chuva esteve presente em vários trechos da estrada, alternando com trechos secos. Ficamos peritos em colocar e tirar a capa de chuva (sim porque quando não chove, ninguém aguenta o calorão dentro daquele troço!). Ao passar por um trevo no extremo norte de SC, vi uma placa e desviei da rota “comum” (BR-101) para aventurar por um trecho famoso pela beleza e que eu já tinha curiosidade em conhecer: seguir por Itapoá, Guaratuba, Morretes e subir a Estrada da Graciosa. Planeje um dia passar por ali, porque o visual dessa estrada (da Graciosa) é muito bonito! E aproveite para almoçar em Morretes, experimentando o prato típico local que chama-se Barreado. Só não coma muito, pois dá um sono FDP depois! eheheh

       Chegando em São Paulo, como sempre fomos muito bem recebidos pelos amigos (Abração pra todos aí em Sampa e Feliz 2006!!). Passamos um dia conhecendo mais um pouco da cidade e depois tocamos para Ribeirão Preto, dia 30/12. Chegada emocionante, pois a ÚNICA &¨#%$&#%$ DE NUVEM DE CHUVA do dia todo estava exatamente SOBRE O CENTRO DE RIBEIRÃO!!! Estávamos sem capa, e nenhuma vontade de parar pra colocar, loucos pra chegar e descansar (leia-se beber) logo. Foi um exemplo da força do pensamento positivo: “vai dar, vai dar, vai dar!” E não é que deu? Chegamos no hotel sem nos molharmos!!!

       Último dia do ano, e nós ainda a 750km de casa… muitas dúvidas no ar: será que o reveillon iria ser na estrada? será que ia chover muito ainda? a estrada estaria muito movimentada? a buraqueira de Uberlândia teria piorado? em caminho de paca tatu caminha dentro? Sem respostas para estas importantes questões, a dupla dinâmica se lançou na estrada…

       Após pagarmos 500km de pecados, pilotando na chuva, velocidade reduzida, desviando dos buracos, e ainda à noite, finalmente chegamos em Brasília às 21h do dia 31/12/05, exaustos, molhados (mesmo com capa), gelados, e prontos pra outra! Novas amizades feitas, lugares descobertos, muitas dicas de viagem aprendidas, e a certeza de ter encontrado uma mulher sem igual, companheirona e aventureira! Parabéns gatona!

Clique nas fotos para ampliar

em treinamento
Motoqueira em treinamento
felicidade é um pacote bem grande
felicidade é um pacote bem grande
os Brutos também amam!
os Brutos também amam!
pijama nao!
pijama nao!
mirante
mirante Morro da Cruz
la bruta famiglia!
la bruta famiglia!
Praia Mole
Praia Mole
Mais um pouco e tá pilotando...
Mais um pouco e tá pilotando…
Belezas naturais
Belezas naturais
Prainha da Barra
Prainha da Barra
Retornando
Retornando
Balsa de Guaratuba
Balsa de Guaratuba
O que vamos fazer hoje, cerebro?
O que vamos fazer hoje, cérebro?
Estrada da Graciosa
Estrada da Graciosa
Bebemorando no Pinguim Ribeirão Preto
Bebemorando no Pinguim Ribeirão Preto

“Não explico porque ando de moto! Para quem gosta, não é necessário,

e para quem não gosta, nenhuma explicação é possível”

Autor desconhecido


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *