Rastreador via satelite – saiba mais

Rastreador via satelite – saiba mais

Muitos aventureiros (independente do veículo utilizado) utilizam sistemas de rastreamento para poderem ser resgatados em caso de emergência / risco de vida. Você pode notar nos vídeos deles algum aparelhinho servindo para essa finalidade. Existem vários fabricantes, operadoras e serviços. E com a evolução da tecnologia agregando redes como a celular e a internet, os rastreadores hoje também servem para informar sua família e amigos sobre sua posição durante a viagem, através de mapas on-line, mensagens por email e até mesmo o antigo SMS.

HISTORINHA DE ESTRADA
Viajei 11 anos pelo Sul e Sudeste do Brasil, sem rastreador, pois eram basicamente viagens por asfalto em áreas urbanizadas. Passei a considerar o uso do rastreador após minha viagem de 2015, sozinho pela Transamazônica, como forma de tranquilizar a família durante a viagem e também para facilitar o resgate se necessário. Foram milhares de km de terra, em áreas isoladas, e a sensação de estar “desamparado” em caso de problema é muito angustiante. Sem falar da família preocupada por dias e dias sem notícias.

SPOT Gen1 Então, para a viagem Amazônia 2016 resolvi selecionar um rastreador, e o mais acessível era da marca SPOT. O Personal Satellite Tracker (Rastreador Satelital Pessoal) lançado em 2007 foi o primeiro do mundo feito para ser levado por uma pessoa. Antes disso, eram aparelhos grandes para instalação em veículos. Quem não lembra daquelas bacias gigantes no teto de caminhões?

.
.
SPOT Gen3Consegui um desses da primeira geração, usado, de um grande amigo. Utilizamos na viagem, com sucesso. E ainda serviu para registrar o caminho percorrido em um mapa digital, para ficarmos lembrando depois das currutelas por onde passamos. Veja algumas das minhas viagens aqui, e dos clientes aqui. O SPOT Geração 1 é meio “jogo duro” de usar, e com o passar do tempo comprei um aparelho SPOT da Geração 3, o mais utilizado hoje, bem amigável na operação dos botões.

.
Funcionamento do SPOTCOMO FUNCIONA
1 – A rede GPS é aquela rede de centenas de satélites militares dos Estados Unidos que orbitam a Terra. Os russos tem a rede deles também, chamada GLONASS.
2 – Os aparelhos rastreadores possuem um receptor GPS, que ao observar a passagem dos satélites citados por cima da sua cabeça calcula sua posição geográfica no planeta. Latitude, longitude, altitude, velocidade.
3 – Você no meio do mato com um rastreador que sabe sua posição no planeta, não adianta nada pro Resgate se essa informação ficar ali apenas com você, certo? O SPOT é um aparelho que também tem um transmissor de sinal para OUTRA rede de satélites, a Globastar (que é a dona do SPOT na verdade).
4 – A sua posição no planeta, transmitida para a central de informações da Globalstar, alimenta o resto do sistema: atualiza o mapa digital marcando sua localização.
5 – Além da sua localização, o SPOT transmite comandos que você aciona nos botões do aparelho. Comandos como “CHEGUEI”, “SOCORRO MECANICO”, “RESGATE”. Esses comandos quando chegam no sistema da Globalstar, acionam mensagens por email ou SMS para os contatos que você configurou no seu aparelho.

Cobertura Mundial

NOTE QUE EM NENHUM MOMENTO FALAMOS DE REDES CELULARES! O sistema é por totalmente por satélite, a cobertura é mundial. Se você estiver enxergando o céu, o satélite vai te enxergar. Você precisa do sinal de dados do celular ou do wi-fi APENAS para utilizar o aplicativo do mapa digital, como qualquer outro usuário pelo mundo consultando o mapa pra saber onde você está.

.
.

QUANTO CUSTA:
O aparelho no Brasil pode ser encontrado NOVO na faixa de 300 a 600 reais dependendo da promoção. O problema é o custo de utilização, na faixa de 600 reais por ano. Existe um plano mensal, mas como te obrigam a pagar 12meses, sai mais caro. É viável para quem está SEMPRE viajando, fazendo trilhas semanais, especialmente em áreas remotas. Para comprar, fique de olho no site da SPOT, em datas promocionais como Dia dos Pais e Black Friday.

A outra alternativa de uso é ALUGAR um aparelho para sua viagem. Para quem viaja eventualmente, utilizando férias por exemplo, é uma boa opção para reduzir os custos com o rastreador. Precisando alugar, entre em contato com Bressan (61-98401-1486 voz e zap) e consulte a disponibilidade de aparelho para a data da sua viagem, e os demais detalhes.

DUVIDAS FREQUENTES:
1 – O resgate é pago ou de graça?
Depende do país! No Brasil, onde o resgate é público feito pela Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, etc, o resgate é sem custo para o acidentado. Em outros países, pode ter outras regras, implicar em custos que geralmente são altos.

2 – Como faz pra se prevenir do custo do resgate?
Existe um serviço de seguro, da GEOS ALLIANCE, com duas opções: SAR50 custa 18 dólares cobrindo 50000 dólares americanos de despesa do resgate, e o SAR100 que custa 30 dólares cobrindo 100000 dólares americanos de custo resgate. Se você for comprar direto no site deles, cuidado com a pegadinha do AUTO-RENEW (auto renovação após um ano).

3 – Viajarei com várias pessoas/veículos, o que precisa?
Precisará de UM rastreador para o grupo, e se quiser, o seguro resgate individual para cada participante.

4 – Mas o resgate funciona mesmo?
Nunca precisei chamar, mas acompanho no site da SPOT os relatos, geralmente no exterior. No Brasil, um caso que conheço foi recentemente em Tocantins, uns pesquisadores se perderam na mata próxima de Taquaruçu, chamaram o resgate pelo SPOT e os Bombeiros conseguiram resgatar o pessoal com sucesso.

5 – Onde coloco o aparelho?
O indicado é sempre junto ao seu corpo. Em caso de emergência o aparelho estará contigo para acionar o resgate. Eu uso amarrado no ombro, por exemplo.

SPOT no ombro

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *