Brasilia-Buenos Aires – 2007 – V

Brasilia-Buenos Aires – 2007 – V

Saímos de Santa Maria/RS no dia 30/12 bem cedinho, a caminho de Caxias do Sul para subir a BR-116 e chegar até Lages/SC. Abastecemos em Candelária/RS, terra dos dinossauros! Um fóssil de um primo maior do Tiranossauro-Rex foi descoberto neste município há alguns anos, contrariando a ideologia vigente de que não haviam dinossauros no Brasil (deve ser alguem da mesma turma dos que diziam que no Brasil não havia petróleo!).

Depois de Candelária, paramos em Garibaldi para comprar algum remédio para o braço da Lilian, que estava inchando ainda devido à picada do inseto lá na Argentina. Domingão, tudo fechado, conhecemos praticamente a cidade toda rodando atrás de uma farmácia aberta, mas conseguimos. Dali fomos pra Caxias, subindo aquela serra belíssima com muita vegetação. O clima ameno ajudou bastante a rodarmos mais confortáveis naquelas roupas pesadas de couro. Passamos por Vacaria e seguimos sem paradas, apenas abastecendo e tirando algumas fotos. A estrada está boa, mas o lado gaúcho da BR-116 está melhor conservado. No lado catarinense há muitas ondulações, talvez pelo trânsito de caminhões. Chegamos em Lages no final da tarde, onde repousamos. No dia seguinte, véspera de ano novo, atravessamos a região das maças, em São Joaquim. Mesmo sendo verão e meio-dia, o clima fez jus à fama de “cidade mais fria do país”! Ô lugarzinho gelado, tchê! 😉
Fiz questão de retornar por esta rota para poder mostrar pra Lilian um dos locais mais belos do meu estado natal, Santa Catarina, que é a Serra do Rio do Rastro. Felizmente conseguimos estar ali em um belíssimo dia de sol sem nuvens, para podermos curtir todo o visual da serra. Inicialmente a estrada era um caminho de terra serpenteando pelas encostas da serra do mar, por onde os tropeiros faziam o transporte de mercadorias entre o litoral e o planalto catarinense. Com o tempo, foi se tornando mais movimentada, e modernizada com a pavimentação da estrada. Passei por aqui pela primeira vez de moto com meus pais no inicio de 2007, e agora repito o passeio no comecinho de 2008 com minha linda gata aventureira.
Descemos a serra e fomos para Itapirubá, encontrar meus pais e vários familiares, para comemorar a virada do ano na praia onde veraneamos há 25 anos já! Após dois dias de muita festa, no dia 03/01/08 reiniciamos nossa viagem de volta à Brasília. Acho que milhares de outros tiveram a mesma idéia… pegamos um engarrafamento de 100Km devido às obras de duplicação da BR-101, praticamente de Imbituba até Florianópolis. A “síndrome da volta” recaiu novamente sobre mim e fizemos alguns trechos de 280Km sem sair de cima da moto, praticamente aproveitando todo o tanque. É puxado e não recomendo! Com a boulevard, descobri o meu limite! O destino do dia foi Barra Velha, para curtir um dia no Beto Carrero World, o maior parque temático do país.
Dia 04/01/2008, sexta, partimos bem cedinho de Barra Velha e chegamos em Pirassununga já tarde, umas 22h. A passagem pelas serras entre Joinville e Curitiba, e depois novamente por Juquiá, é sempre muito prazerosa, pelas curvas. Mas perdemos umas duas horas tentando encontrar o caminho de volta depois da serra, ali naquela região de Salto e Sorocaba. A sinalização não está muito eficiente (ali e em dezenas de outros pontos do Brasil). Bom, Pirassununga é uma ótima cidade para conhecer, como a maioria das cidades do interior paulista. O hotel que ficamos bem no centro da cidade possui um museu da cachaça, mas só soubemos disso na saída… uma pena! 😉
Finalmente no dia 05/01, completamos nossa viagem retornando a Brasília depois de 22 dias em 8000Km de estrada! Tiramos o domingo para descansar da longa jornada. Com certeza uma viagem para ficar na memória pelo resto da vida.

Veja o vídeo da viagem!

Clique nas fotos para ampliar

Candelária/RS
Candelaria/RS
Fronteira RS/SC
Fronteira RS/SC
Serra do Rio do Rastro
Serra do Rio do Rastro
Irmã gemea
Irmã Gêmea
Beto Carrero World
Beto Carrero World
Serra de Juquiá
Serra de Juquiá
El Caminito
El Caminito paulista
Uberaba
Uberaba, falta pouco!
Comemorando
Comemorando na chegada!
Segunda-Feira
Segunda-Feira…

“Não explico porque ando de moto! Para quem gosta, não é necessário,

e para quem não gosta, nenhuma explicação é possível”

Autor desconhecido


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *