Rio-Sampa pra ver o show do U2

Rio-Sampa pra ver o show do U2

No último final de semana a Drica e eu encaramos a estrada para ir ao show do U2 em São Paulo. Segue o relato!

Saímos de casa no sábado dia 09/04/2011 direto a um posto de gasolina na Avenida das Américas, para abastecer a moto e o estômago. Eram 8:30h quando a viagem começou de verdade. O dia estava com clima ótimo e a temperatura agradável, dava para suportar a utilização da jaqueta sem morrer de calor. Foi uma tocada direta até Itatiaia. Uns 200km rodados já fazendo uso da autonomia maior da Heritage. Parada rápida somente para gasolina, água e pipi.

Dali em diante começaram paradas mais freqüentes. A primeira para tirar foto no km 52 da Via Dutra. Acabamos gastando um bom tempo nesta atividade. A placa fica na divisão entre as duas pistas em frente a fábrica da Yakult e de um posto de gasolina, onde é proibido estacionar à margem da estrada. Tirar uma foto que contemplasse o piloto e a placa ao fundo foi um desafio. Continuamos e depois fizemos mais uma parada, em Aparecida do Norte, para exercitar um pouco de fé. Gastamos uma hora por ali visitando a Basílica. Muito legal. Quem não conhece ainda deveria planejar uma passadinha por lá. Quando estávamos próximo a Taubaté, já para pegar a Carvalho Pinto em direção a Airton Sena, começou uma chuva. Daquelas típicas de verão. Parada urgente para nos paramentarmos contra a chuva e seguimos.

A chuva foi torrencial! Pensei em parar, mas não tinha onde. Simplesmente parar no acostamento seria mais perigoso ainda, no meu ponto de vista. Recebemos algumas rajadas de vento lateral, mas resistimos bravamente. A viseira do capacete embaçava e quando abria entrava água. Foi punk! Pegando a Carvalho Pinto finalmente a chuva passou. A próxima parada, no Frango Assado já a 100km de São Paulo, foi só para completar o tanque e evitar o risco de pane seca para chegarmos no hotel. Em seguida uma pausa para foto no Km 52 da Rodovia Airton Senna. Desta vez sem maiores dificuldades. Sentimos que a Heritage cansava muito menos do que a boa e velha Drag. Bundas em perfeito estado. Então fomos direto até o hotel em Moema. Apesar de não ser um expert em São Paulo cheguei sem errar. Eram 15:00h.

Passamos duas noites em São Paulo. Na primeira muita cerva e pizza no Bráz acompanhados do meu cunhado e esposa (Paulo Henrique e Cel) que vieram de Curitiba, e Juliana e Bruno, amigos que vieram de Brasília. Na segunda noite dia 10/04 rolou o tão esperado show. A despeito de gostos musicais, os caras são muito bons naquilo que se propõem a fazer e a produção é simplesmente incrível. Dificuldades só para chegar ao hotel depois do show. A prefeitura simplesmente ignorou que haviam 90 mil pessoas querendo sair da região do Morumbi às 23:00h da noite de domingo. Ou seja, chegamos no hotel por volta das 2:30h, desta vez bastante cansados. Contando todo o tempo foram mais ou menos 8 horas em pé. Ou seja, desmaio generalizado na cama.

Na segunda dia 11/04 acordamos pelas 8:30h, banho, café da manhã com debate das impressões do show etc, e estrada de volta. A viagem foi mais direta, menos paradas apenas os dois abastecimentos e mais uma parada para dar uma esticada nas pernas. Sentimos bastante o cansaço acumulado com a noite anterior. Mas sem maiores surpresas. O trânsito de segunda-feira estava tranqüilo mesmo no trecho dentro de São Paulo incluindo marginal Tietê. O pior foi aqui no Rio mesmo, no engarrafamento da Linha Vermelha para pegar a Amarela. Chegamos em casa às 17:00h, depois de um final de semana bastante intenso. Uma boa viagem de motoca e um excelente show do U2. Foi muito bom!

PS: Foi a minha primeira viagem longa com Heritage HD. Bastante confortável como já disse no texto. Tenho que admitir que a bolha ajuda bastante. Consegue-se rodar entre 120 e 140km/h como se tivesse a 80. Ainda mais com a relação da sexta marcha da HD que, para quem não sabe, é de 1:1. Ou seja, o motor trabalha numa rotação tranqüila o tempo todo. Na chuva torrencial a bolha tem a desvantagem de não deixar o vento bater diretamente na viseira o que acaba prejudicando a visão devido ao acumulo de água.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *