Amaciando II – Jerivá

Amaciando II – Jerivá

29/10/2011

Good Fellows, segue um pequeno relato do passeio de hoje ao Jerivá:

Ontem à noite recebi uma mensagem do Herman, falando que se o clima no sábado fosse bom, rolaria um passeio ao Jerivá. Bom, fui dormir e logo de manhã, sou acordado com a tal mensagem: “Tempo bom 8:30 saindo do posto”.

Na minha cabeça, só rolavam as coisas que eu tinha de fazer no sábado, arrumar o carro, ajeitar as roupas da semana para trabalhar e muitas outras. Pensei no último passeio que havia feito com o El Bando, que foi até Dom Fernando em Formosa-GO, quase há um ano atrás….putz! Pulei da cama, tomei um banho de gato, peguei dez reais emprestados com a minha irmã, sabe como é, apesar de trabalhar em uma agência bancária nunca lembro de pegar din-din. Casa de ferreiro, espeto de pau.

Montei na máquina e parti em direção ao setor de postos da Candangolândia, e detalhe, já eram 8:20, ou seja, galera ia me zuar pelo atraso! Quando chego no posto do Pão Dourado, só vejo o Herman ao lado da sua esposa e da amante, depois o bicho fala quem é quem, kkk. O Herman já tinha acabado de abastecer e estava pronto para partir. Então rumamos em direção ao Jerivá, saímos pelo Núcleo Bandeirante, passando pelo Riacho Fundo. Rolando uma blitz monstra no posto da PM, logo na entrada da Samambaia, mas passamos de boa. Depois que passamos por Santo Antônio do Descoberto passei a ter problemas com a falta do meu óculos escuros, que quebrou logo quando eu saia de casa. Uso lentes de contato e por isso normalmente coloco os óculos escuros quando ando de moto, pois o meu capacete entra muito ar por baixo e sem os óculos, os olhos secam e começam a irritar e a doer, atrapalhando a boa visão. Essa situação me incomodou até chegarmos na fábrica da Schincariol, onde o vento mudou de direção e passou a soprar menos dentro do capacete.

Como é “de lei”, paramos na placa do KM52 e tiramos algumas fotos, indo depois direto para o Jerivá. Em seguida chegou o Rondon com a nova moto BMW F800GS, diga-se de passagem, muito bonita. O Rondon era só alegria, muito feliz por ter pego a moto, mesmo sem placa veio ao nosso encontro. Comemos e batemos um bom papo, não marquei o tempo, valeu a conversa! Além do ótimo passeio com um céu limpo e um sol ameno.

Na volta, logo quando saímos fui lembrado de que estava em uma 400cc, o Herman e o Rondon deram uma esticada em suas motos nos 2000m até o retorno, que mesmo eu tentando torcer o cabo até ao final, eles abriram uma distância considerável, hehehe! Um dia chego lá! Fizemos o retorno para Brasília e seguimos em frente. Herman pediu que eu fosse o ponteiro, para ditar o ritmo já que a minha Falcon era a mais fraca das três.

Paramos, novamente, na placa para tirarmos mais algumas fotos, agora com a presença do Rondon. Muito legal a parada para a foto, mas deveríamos seguir viagem e rumar para Brasília. Retorno muito tranquilo, trânsito e asfalto muito bom, então resolvemos passar no Sudoeste e finalizar o passeio com uma cervejinha gelada, pois a garganta secou na estrada. Chegamos na Rua das Motos e tomamos aquela gelada, conversamos mais um pouco e depois cada um foi para casa.

Foi muito bom! Como eu falei anteriormente, meu último passeio completou um ano e sei que sinto falta disso, vento na cara e a estrada pela frente. Valeu Herman pelo convite, valeu Rondon pelo privilégio de estar no primeiro passeio com a nova moto e, com certeza, muitos outros virão.

É isso aí!!!

Fui, e até a próxima!

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *