Amazônia 2016 – Décimo Terceiro Dia

Amazônia 2016 – Décimo Terceiro Dia

Partimos de Porto Velho com destino a Lábrea, o final da BR-230 (Transamazônica). Passamos rapidamente em Humaitá para abastecer e seguimos. Os 220km de terra foram nivelados e estao poeirentos nesta época. É um dos marcos da viagem, pernoitar em Lábrea.

Compartilhe!

2 Responses »

  1. Oi amigos de Manaus;
    Eu estou querendo ir sozinho numa 800GS de Humaitá a Manaus; descer o rio até Santarem e de lá voltar para o interior de SPaulo.

    Li em um de seus relatos que o trecho de 410km de terra entre Humaitá e Manaus, tem vários obstáculos e dentre eles vcs colocam “onças” como um deles.

    Vcs acham que isso pode vir mesmo a ocorrer? Um ataque desse bicho pra cima de um motociclista.

    Tenho procurado essa resposta com vários e tudo o que recebo de volta são gozações; simplesmente não me levam a sério.

    Podem me responder sobre isso e outros perrengues que uma pessoa solo pode ter? Pretendo ir agora em agosto/2017.

    Meu email é pesqueirocastelinho@Hotmail.com
    facebook Alexandre Nottingham Benevides

    Desde já obrigado.

    • Olá Benevides! Existem onças na região toda, mas na beira da estrada, durante o dia, está cada vez mais raro ver uma. Claro não se pode dar bobeira como parar a moto e adentrar na mata (sei lá porque mas alguns fazem). Eu parei e tirei fotos sem me preocupar, mas foram paradas rápidas. Em relação aos perrengues, na época seca o risco de atoleiros diminui bastante mas pode ocorrer (pegamos dois!). As pontes, sempre olhar se são novas ou velhas. Nas velhas, melhor testar antes ou ir pelo desvio ao lado. As cabeceiras das pontes podem estar desniveladas e a paulada é grande. Tem que ir devagar e com extrema atenção, não tem jeito. No mais, é aproveitar o visual. Em agosto é uma boa época, e com certeza encontrará vários companheiros no trecho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *