EBRJ indo a BH

EBRJ indo a BH
O objetivo era bastante interessante. Participar do casamento de um casal de grandes amigos e aproveitar a coincidência com o feriado de Corpus Cristi para colocar a motoca na estrada numa viagem do Rio de Janeiro até Belo Horizonte. Por falar nisto, muito amor e alegria para o Fábio e a Bruna.
A combinação foi perfeita, a festa era na sexta-feira á noite e, portanto, tivemos a quinta-feira (feriado) para fazer o trajeto de ida e depois no sábado poderíamos voltar sem se preocupar com trânsito de volta de feriado ou coisa parecida.
Quinta-feira 30/05 pela manhã a Drica e eu deixamos nossa casa na Freguesia com um clima ótimo para viajar. Temperatura agradável, sem chuva. Alguém já deve estar pensando como é que resolvemos o problema dos trajes para o casamento. Não esquecendo que além do terno e gravata tinha o vestido longo e sapatos de salto. Bem, não foi tão difícil. Colocamos tudo dentro daquelas capas de carregar ternos e, no maior estilo Wild Biker, enrolamos tudo e amarramos com as cordas elásticas. Lógico que convencer a Drica a fazer isto deu muito mais trabalho do que efetivamente colocar tudo preso à motoca. Claro que na bagagem ia um ferro de passar roupa por garantia… Numa das fotos anexas podem ver como ficou a arrumação.
Viagem tranquilíssima, o trânsito era muito calmo para um primeiro dia de feriadão. Subimos a serra de Petrópolis e tocamos direto até Juiz de Fora. Para aqueles que não conhecem, a estrada é impecável neste trecho. Primeira parada foi no Salvaterra. Um lugar que agrega vários restaurantezinhos e lanchonetes. Um ambiente muito agradável e com boas comidinhas com preços honestos. Pelo que percebi é um point de motociclistas que fazem passeios na 040 naquelas redondezas. Abastecemos nossas barrigas e em seguida a motoca e tocamos em frente. Neste pedaço a temperatura era mais baixa. A jaqueta na configuração verão deixava passar um ar mais frio, mas ainda não desagradável.
A partir de Juiz de Fora as condições da estrada mudam. Deixamos de ter pista dupla e o asfalto dá uma piorada considerável, cheio de falhas e remendos. Não precisa ser muito esperto para entender que em Juiz de Fora a estrada deixa de ser pedagiada. Mas tudo bem, as condições não eram as melhores mas nada que causasse maiores problemas. Passamos Santos Dumont e logo em seguida tivemos um pit stop para reabastecimento rápido e seguimos viagem. Pegamos uma chuva fraca chegando em Belo Horizonte, mas nada que valesse a pena sequer colocar as capas de chuva. Eram 15:30h estávamos aportando no hotel que fica na Savassi. Foram 5 horas e meia de viagem desde que saímos de casa às 10h da manhã. Excelente! Fomos descansar um pouco e fechamos a noite em barzinho próximo ao hotel. Alguns chopes e comidinhas gostosas.
No dia seguinte rodamos um pouco pela cidade. A Drica fez algumas compras como não podia deixar de ser e foi para o salão de beleza se preparar para o casório. Fomos ao casamento de táxi, já que convencer a Drica andar de moto de vestido já seria impossível. Nem propus… Hehehe… Por falar nisto as roupas chegaram em ótimo estado. Nem fizemos uso do ferro de passar.
A cerimônia e a festa foram excelentes. Teve até show ao vivo de uma banda montada por alguns convidados amigos e o próprio noivo. Rock nacional e internacional com muita animação. Na foto anexa, só quem não era da banda sou eu. Este tipo de habilidade não faz parte do meu perfil. O Fabião mandou muito bem nos vocais. Amanhecemos chegando ao hotel depois de muitas bebidas, risadas, papos ótimos e comidas boas, prevendo uma visita da dona enxaqueca em breve. Melhor ainda, ela não veio!!
Como ninguém é de ferro, dormimos como anjos sem pressa de ir embora no sábado. Acabamos saindo após ao almoço quase 2 da tarde em direção ao Rio. Tocada mais tranquila ainda. Temperatura e clima perfeitos. O trajeto não teve quase nada a acrescentar pois utilizamos exatamente o mesmo da ida para Belo Horizonte. A parada para o lanche foi no Roselanches próximo a Barbacena, também recomendado pelo André, um colega aqui do Rio mas que está sempre no trajeto para a sua cidade natal, BH. Cheio de coisas de Minas para você comprar e trazer para se lambuzar em casa. Leia-se alguns potes de doce de leite.
Continuamos numa tocada boa até Petrópolis onde fizemos um abastecimento e começamos a descer a serra já no escuro. Pegamos um pouco de tráfego com muita gente apressada naquelas curvas. Mantemos nossa tocada, parada para foto rápida no mirante e chegamos em casa lá pelas 7 e meia da noite.
Missão cumprida!
Um excelente feriado curtindo estrada e prestigiando nossos amigos Fábio e Bruna. Mais uma vez: Que sejam muito felizes nesta nova fase das suas vidas!!!
Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *