Final de semana estradeiro IV – 2010

Final de semana estradeiro IV – 2010

       Mais um fim de semana terminando. Mais uma Rio-Brasília realizada! A novidade da vez é levar a Drag da Lilian de volta pra casa depois da nossa viagem pela Estrada Real no último feriadao! (relato em andamento) Como seria encarar os 1150Km em uma moto que rodei bem pouco até então?

       Parti na sexta à noite, 21h, depois do trampo. Passei em casa pra vestir a armadura, e quando estava saindo o porteiro avisou pra nao ir pro lado do Joá. Houve tiroteio por perto e o trânsito estava infernal. Oook!

       Petrópolis ás 23h, curti um bom papo com os amigos do MC Petrópolis e famílias. Uma da manhã prossegui, parando novamente na Leiteria em Santos Dumont às 3 da madruga. Lua cheia, estrada uma beleza, e ânimo total pra continuar. Mas, melhor dormir agora do que na estrada mais tarde, com os caminhões acesos atropelando! Chego com a moto barulhenta, tiro o kp7 e o porteiro já me reconhece! Kkk

       Me atrasei no acordar, mas às 10h estava na estrada novamente. E preocupado com a gasolina, pois a autonomia da Drag é um pouco mais curta que da M800 e assim minhas paradas habituais a cada 240Km estavam todas fora do esquema. Procurei postos a cada 190Km desta vez. O que nao impediu de chegar em Paraopeba só com o vapor da gasolina! Solzão saiu forte, calor moendo até as 17h. Saí protegido para o frio da noite, sem mochila ou alforges pois a moto é peladinha. Pra refrescar, só abrindo um pouco o zíper do colete e jaqueta.

       Em Luislandia, no famoso trevo de Pira-Patos, a merda! Após o abastecimento, o frentista notou uma pequena poça de óleo. Uma nao, várias, nos três locais onde parei a moto. Conferimos e era o bujão do cárter pingando. Mexi no bicho e estava frouxo. Na hora saquei a causa: troquei o óleo na concessionária Yamaha da Barra e os FDP não colocaram aquela arruela de alumínio que faz a vedacao. Normalmente eu paro na frente da bomba, abasteço e vou embora. Se não fosse um carro apressadinho me obrigar a recuar a moto, nao teriamos visto a poça, e o prejuízo mais à frente seria total! Esgotamos o óleo, já que nao sabia o quanto tinha vazado, instalamos a vedacao e pusemos óleo novo! Amanhã vai ter outra briga na Barra!

       Continuando a viagem seguindo pela BR-040 adiante, o próximo “alvo” é João Pinheiro. O clima continuava bom, apesar das previsões de chuva. Coloquei um ritmo um pouco mais forte, pois perdi mais de hora em Pirapatos. A estrada é boa, um tapetão e longas retas. Os quilômetros passam rápido. Por volta das 18h já alcanço Paracatu! Faltam apenas 200Km para Brasília, quase em casa! Uma pausa para o lanche, pois a fome apertou. Há sinais de chuva no posto de gasolina, por enquanto dei sorte! É noite quando passo por Cristalina, a 100Km da meta. O tempo já mudou… esfriou bastante, pressão baixa, cheiro de chuva e terra molhada. Chegando em Luziânia, os pingos começam. Ainda rodo uns 20Km antes de parar num posto, as 22h, pra esperar a chuva passar. Nesta época, as chuvas são rápidas, uma horinha e estou “liberado”. Nesse meio tempo, fico curtindo o movimento do posto, as idas e vindas do pessoal na lanchonete. Cada tipo esquisito… kkkk


“Não explico porque ando de moto! Para quem gosta, não é necessário,

e para quem não gosta, nenhuma explicação é possível”

Autor desconhecido


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *