KM52 da BR-070

KM52 da BR-070

No último sábado de março, em nosso passeio comemorativo dos aniversariantes do mês, resolvemos descobrir se existia o KM52 da BR-070. A gente arranja qualquer motivo pra dar um rolézinho!

Partindo de Brasília, sentido Águas Lindas e Cocalzinho de Goiás, iniciamos tarde devido ao desempeno da roda de uma das motos. O tempo fechando na direção onde iremos, mas combinado é combinado! Sem nem piscar seguimos adiante. Acabamos pegando uma chuva na travessia da Barragem do Rio Descoberto, suficiente pra molhar tudo rapidamente. Mas em Águas Lindas mesmo, logo após isso, já tinha asfalto seco e até completarmos os 45Km até o ponto de destino, o vento secou as roupas.

Chegando no KM52, satisfação geral em encontrar a placa, e descobrir que bem em frente há um restaurante caipira, rio disponível para banho e local pra acampar. Ideal para novas visitas ao local! Experimentamos um empadão goiano exemplar! O casal dono da chácara é muito simpático e nos disseram que o “point” já é conhecido de alguns grupos de motociclistas que aparecem vez em quando.

Fazia bem uns cinco anos que não passava por esta estrada, que já foi bem esburacada e foi onde rachei o cubo da roda traseira da Virago 535. Com a “descoberta” do caminho pela BR-060, duplicada, mais a vicinal em Abadiânia, a ida para Pirenópolis deixou de ser feita pela BR-070 por muita gente.

Agora está perfeita para rodar, embora já com alguns sinais de degradação do asfalto. E aquela famosa curva que SEMPRE perde o asfalto rapidinho, estava lá, meia-boca como antes. Deve ser caminho de água da chuva, que leva tudo mesmo. E como o pessoal que é responsável pela estrada é muito inteligente, apenas consertam o defeito na pista, sem nunca resolver a causa real do estrago.

Terminamos o lanche e voltamos, com a missão de participar do churrasco de aniversário do Kão. Viemos bem, vendo os estragos causados pela chuva (alagamento e acidentes devido à aquaplanagem). Mas, ao passar pelo trecho na Ceilândia, o céu caiu de novo. Sem visibilidade e com a suspeita de que era só uma chuvinha rápida, paramos em um ponto de ônibus. Interessante citar que eram uns seis motociclistas dentro do ponto, e uma senhora com sua filha evitaram de ficar conosco, preferindo sofrer a chuva abrigadas sob um pequeno e inútil guarda-chuva, e depois sob um telhado furado de um outro abrigo próximo ao ponto. Preconceito? Medo? Foram-se!

Após uma hora e meia, e nada da chuva amainar, pegamos as tralhas e fomos embora. Já estávamos molhados mesmo, pois a chuva vinha de todos os lados bem rasante. Só perdemos tempo! kkk

Curtimos o churrascão “meio úmidos”, mas realizamos mais uma bela confraternização com passeio e descoberta de novos locais pra revisitar. E é isso que importa!

ARRIBA EL BANDO!

Compartilhe!

2 Responses »

  1. Show de bola!!!

    Temos de voltar lá para almoçar e descobrir se o rango é presença, que se puxarmos por base o empadão, será de responsa.

    E bôra rodar!!!

    Jefferson
    Falcon Vermelha

  2. kkkkk..

    Muito bom o relato..
    Agradeço a todos a presença no meu aniversário..
    Bora armar de uma volta lá no “framoso”, pq nosso Km 52 também já tá ficando “framoso”!! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *