Dicas para Guiana Francesa

Dicas para Guiana Francesa
Dicas para Guiana Francesa

A travessia da Guiana Francesa é bem interessante, mas cara! Para entrar, tem que ter passaporte (230 reais), obter o VISTO FRANCÊS (uns 240 reais), PID (permissão internacional de dirigir – 250 reais no DF), fazer o certificado internacional de vacinação contra febre amarela, e na entrada no país, pagar o seguro de 175 EUROS para o funcionário do governo. No nosso caso, entrando pelo Oiapoque, foi logo após a Ponte Binacional.

Guiana Francesa: Documentos Exigidos
Guiana Francesa no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=Dfo-soM6NPY

O visto francês, primeiro você tem que ter o passaporte brasileiro pronto. Depois você verifica onde tem consulado perto da sua cidade e providencia a papelada. Eu fiz tudo na Embaixada Francesa em Brasília, o processo levou 3 semanas entre dar entrada e obter a resposta. Celso deixou pra fazer no Consulado Francês em Macapá, tivemos uns atrasos devido ao horário de funcionamento do consulado. O recado é: NÃO DEIXE PRA FAZER DURANTE A VIAGEM. Faça tudo antes, pra não correr o risco de perder dias e dias de espera.

Existem controles policiais chamados PAF ao longo da estrada, um deles no leste no acesso à cidade chamada REGINA, e o outro no oeste. Conferem a documentação toda e se tiver algo errado, não passa mais. Tem muita imigração ilegal devido a garimpos e madeireiras, e o controle é bem rígido.

Os custos da estadia/passagem pelo país são todos em euros. Encher o tanque da Teneré250 com quase 15 litros custou 40 euros. O lanche no posto foi 10 euros por dois salgados e um refrigerante. Assim, optamos por pular a capital, visitar o Museu Aeroespacial por fora e ir rapidamente para a fronteira com o Suriname. O Hotel STAR em St Laurent Du Maroni foi 80 euros (um quarto para duas pessoas).

Fora isso, a estrada é praticamente única, não tem como se perder. Pista simples, asfalto ótimo. A paisagem é SELVA o tempo todo, pois as cidades em sua grande maioria são afastadas da rodovia. Na Vila Iracoubo não encontramos o posto e pegamos gasolina de um habitante local que vende avulso, por 50% a mais que o preço normal.
Em Saint Laurent Du Maroni que pudemos conhecer um pouco do povo e história do local. Vários habitantes nos ajudaram a encontrar hotel, nos guiando pelas ruas, numa boa. A cidade é famosa pela prisão onde a França enviava seus malvadões. Visitamos o centro de triagem, ouvimos o trecho gratuito do passeio guiado, e logo fomos para a balsa fazer a saída do país.

Uma dica importante é conferir os horários da balsa e o fuso horário. Erramos, nos confundimos e perdemos a última balsa da manhã enquanto estávamos lá no passeio pela prisão. Nada grave, mas se tivéssemos planejado sair de tarde do país, teríamos aproveitado melhor a cidade pela manhã. No final deu certo, chegamos em Paramaribo antes de anoitecer.

ROTEIRO:
https://goo.gl/maps/6ahFQCbNQX52

VISITE:
– O Museu do Espaço, no Centro Espacial de Kourou
– A antiga prisão e hoje recanto turístico, nas Ilhas du Salut, litoral de Kourou
– Em Saint Laurent Du Maroni, o Centro de Triagem de Prisioneiros

Vários pontos citados foram mapeados no site www.motoencontros.com, onde pode-se pegar as coordenadas e inserir no GPS, pra quem curte isso.

O dia-a-dia da viagem do Bressan e Celso está aqui mesmo neste site. A Guiana Francesa começa no dia 18:
http://www.elbando.com.br/especial-amazonia-2017/

Também está no facebook http://www.fb.com/amazonia2017 e no Instagram https://www.instagram.com/estradasamazonicas/

É isso aí, esperamos que as informações incentivem novos viajantes a conhecer a região. Quem tiver atualizações sobre a estrada e novos pontos interessantes, coloque nos comentários que vamos atualizando o texto para ficar sempre bom pra todos.

Ponte Binacional na fronteira Brasil – Guiana Francesa

Entrada da Aduana Francesa

Estrada típica da Guiana Francesa, trecho antes de Regina

Posto em Matoury, perto da capital Cayenne. Cuidado, GAZOLE É OLEO DIESEL!

Chegando em Kourou

Visão do foguete lançador de satélites

Museu do Espaço

Casinha na Vila Iracoubo onde abastecemos

Centro de Triagem de Prisioneiros

Uma rua de Saint Laurent du Maroni

Porto da balsa de fronteira

Aduana Francesa

Balsa da fronteira e o raro boto de Guarapari!

Compartilhe!

2 Responses »

    • Não sei, pois não tivemos esta necessidade na nossa viagem. No material que pesquisei no site do Itamaraty também não diz nada pois só trata de necessidades para o passaporte brasileiro. No seu caso, o melhor é perguntar direto no Consulado Francês ou Embaixada da França.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *