Dicas para a BR-010

Dicas para a BR-010
Dicas para a BR-010

DICAS PARA A BR-010

Uma estrada dos Anos JK, para ligar a nova capital (Brasília) ao norte do país (Belém), que ficou pela metade.

HISTÓRIA: https://pt.wikipedia.org/wiki/BR-010 (com erros de confusão sobre a BR-153)
VÍDEO: https://www.youtube.com/watch?v=mDs6PJLYVEc

A partir da eleição de Juscelino Kubistcheck e o plano de construir Brasília no centro do Brasil, seriam necessárias estradas para interligar o país até a nova capital. Nesse contexto que se inicia em 1958 a construção da Rodovia Belém-Brasília. Capitaneada pelo Engenheiro Bernardo Sayão, que tocava a obra junto com os operários. Naquela época tinha outra numeração, e hoje é a BR-010.

Duas frentes de obra foram iniciadas, a partir das pontas. Os trechos do Pará e Maranhão foram entregues (Belém até Carolina/MA) e do DF até metade de GO (Brasília até Teresina de Goiás) estando hoje asfaltados. No interior do Tocantins temos alguns trechos asfaltados, alguns ainda de terra, e alguns ainda planejados no papel. A emancipação do estado e fundação de Palmas alterou o traçado original para passar pela cidade, o que leva ao “abandono” de trechos previstos no projeto. Note na figura o traçado praticamente reto de Castanhal até Brasília (projeto original dos anos JK), e a barriga feita para passar por Palmas (correção de rota devido criação do Tocantins em 1988).

Em Goiás, a estrada rural existente de Cavalcante até a divisa com Tocantins permanece de terra. Muitos trechos rurais existentes em GO, TO e MA não coincidem com o traçado planejado. A estrada é uma colcha de retalhos, o que gera essas confusões de nomenclatura “Belem-Brasilia” com a BR-153 e mapas mal feitos. Passa por áreas rurais, áreas indígenas e maravilhas como a Chapada dos Veadeiros (Alto Paraíso e Cavalcante em Goiás), Jalapão (Ponte Alta e Novo Acordo em Tocantins) e a Chapada das Mesas (Carolina/MA).

Em 2015, a caminho da Transamazônica, Bressan percorreu a estrada toda asfaltada de Brasília até Palmas, para então pegar os trechos de terra até Goiatins/TO e Carolina/MA. A dificuldade de informações sobre o traçado correto gera a vontade de repetir a rota por outros trechos, certamente uma boa aventura e descobrimento da história.

Roteiro: https://goo.gl/maps/as1YesBC9Cm

Condições da Rodovia (DNIT):
Verificar em cada estado por onde você vai passar –
http://servicos.dnit.gov.br/condicoes/

Lembre de ver no mapa do site MOTOENCONTROS os pontos que já marcamos lá, como postos de gasolina, hospedagens, restaurantes, e outros locais interessantes. Pra quem gosta, tem as coordenadas para você passar para seu GPS.

Compartilhe!

2 Responses »

  1. Como ir de Porto Velho pro Maranhão sem ser pela BR 230 queria ir por um roteiro que seja asfaltado.

    • Ótima pergunta Michell! Hoje no Brasil tem apenas duas alternativas de asfalto nessa rota que você pediu:
      1 – BARCO de Porto Velho a Manaus e Belém, e então asfalto de Belém pro seu destino no Maranhão.
      2 – Estrada de asfalto passando por Cuiabá, Barra do Garças, ruma para Gurupi, Araguaína e então chega no Maranhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *